STEVE MCCURRY

“O mais importante para o meu trabalho é o retrato individual. Fotografo histórias que estão a acontecer no momento e, obviamente, depois têm que ser conjugadas de uma forma coerente. Mas o mais importante é que cada fotografia sobressai individualmente, exibindo um local e um sentimento que lhe são muito próprios”

Steve McCurry

Steve McCurry é uma das vozes mais icónicas da fotografia contemporânea desde há mais de 30 anos, com recordes de capas de revista, mais de uma dúzia de livros publicados e inúmeras exposições mundiais em torno do seu nome e obra.

Nascido nos subúrbios da Filadélfia, McCurry estudou cinema na Universidade Estadual da Pensilvânia antes de ir trabalhar para um jornal local. Depois de vários anos de trabalho como freelancer, McCurry fez a primeira de inúmeras sucedâneas viagens à Índia. Viajando com pouco mais do que um saco de roupas e outro de filme, percorreu todo o subcontinente, explorando o país com a sua câmara.

Foi depois de vários meses de viagem que chegou à fronteira com o Paquistão. Aí encontrou um grupo de refugiados do Afeganistão que o contrabandearam através da fronteira para o seu país, precisamente no momento em que a Invasão Russa fechava o território a todos os jornalistas ocidentais. Aparecendo com roupas tradicionais, com barba crescida e feições tisnadas depois de semanas a viver com os Mujahideen, McCurry revelou ao mundo as primeiras imagens do conflito no Afeganistão, colocando um rosto humano em cada manchete.

Desde então, McCurry seguiu criando imagens espantosas nos seis continentes e inúmeros países. O seu trabalho abrange, com a mesma cadência e relevância, conflitos, culturas em desaparecimento, tradições antigas e cultura contemporânea – e, contudo, retém sempre o elemento humano.

Steve McCurry colaborou com algumas das mais prestigiadas revistas internacionais –Time, Life, Newsweek, Geo e National Geographic – tendo sido reconhecido com alguns dos mais almejados prémios do sector, incluindo a Medalha de Ouro Robert Capa, o National Press Photographers Award, e uns inéditos quatro primeiros prémios no concurso World Press Photo.

Na história da fotografia, para sempre ficará gravado o seu retrato mais impressionante, Afghan Girl (1984). A imagem da menina dos olhos verdes correu capas de revista em todo o mundo, abalando corações e evocando uma graça e dignidade absolutamente notáveis. O trabalho de McCurry tem uma qualidade intemporal e pictórica única, a maioria das vezes em absoluto choque com a região problemática em que foi registado.

R. Nova da Alfândega,